17 de outubro de 2013

Governo de SP fará varredura em consultorias de ex-diretor da CPTM

O governo de São Paulo determinou uma auditoria em contratos assinados pelo Metrô e pela CPTM com a empresa do ex-diretor da CPTM João Roberto Zaniboni, que é suspeito de receber propinas da empresa Alstom na Suíça.

A Corregedoria Geral da Administração vai auditar pelo menos cinco contratos de consultoria e supervisão assinados com a empresa Focco, que teve Zaniboni como sócio de 2008 a agosto deste ano, quando foram divulgadas suspeitas de formação de cartéis em licitações de trens no Estado entre 1998 e 2008.

Desde 2011, a Focco obteve, em consórcio com empresas de engenharia, contratos com a CPTM no valor de R$ 24 milhões. A varredura poderá levar à anulação dos contratos, segundo o corregedor geral Gustavo Ungaro.

A corregedoria já investigava quatro contratos com vários aditivos da CPTM que foram assinados por Zaniboni quando ele ocupou o o cargo de diretor da CPTM, de 1999 a 2003, e que podem ter sido fraudados pelos cartéis.

O Ministério Público apurou que há proximidade entre datas de depósitos nas contas de Zaniboni na Suíça e de assinaturas dos aditivos contratuais da CPTM.
Folha ligou para o advogado de Zaniboni, mas ele não retornou as ligações.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).