11:52 - Novidade, confira no blog o tempo de intervalo entre os trens da CPTM.

10:52 - Circulação normalizada nas linhas 1-Azul e 3-Vermelha

10:04 - Os trens da Linha 1 - Azul estão circulando com velocidade reduzida devido a a restrições operacionais da Linha 3 - Vermelha

09:54 - Devido à Interferência na via entre as estações SÉ e PALMEIRAS-BARRA FUNDA, os trens da Linha 3-Vermelha estão circulando com velocidade reduzida e maior tempo de parada.

2 de dezembro de 2016

Passagem subterrânea abre dia 10; trânsito tem alteração

Compartilhe
A oito dias da inauguração do Túnel 2 do Complexo Viário Jornalista Tirreno Da San Biagio, a Secretaria Municipal de Transportes divulgou ontem as primeiras mudanças de trânsito no entorno da região central, que permaneceu fechada durante um ano e cinco meses para a realização das obras. A passagem subterrânea deverá ser aberta ao tráfego no próximo dia 10, sábado.

Nesta quinta-feira (1º), a movimentação de máquinas e a presença de engenheiros da Prefeitura e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) indicavam a aceleração do ritmo do trabalho para a conclusão da primeira parte dessa passagem subterrânea, criada para melhorar o escoamento do tráfego na região central.

Haverá mudanças na circulação de veículos e no itinerário de linhas de ônibus que passam pelas ruas Engenheiro Gualberto e Cabo Diogo Oliver.

O quarteirão da Rua Engenheiro Gualberto, entre a Hamilton Silva e Costa e Cabo Diogo será fechado provisoriamente e passará a receber o trânsito local. A mesma via terá mão dupla de direção entre as ruas Afonso Pena e Cabo Diogo.

Também passará a ter mão dupla de direção, a Cabo Diogo Oliver entre a Engenheiro Gualberto e a Salvador Cabral. O quarteirão anterior a esse, até a Rua Casarejos, permanecerá com mão única, no sentido Centro. Daí até a Ponte Grande não haverá outra alteração na via conhecida por receber boa parte do tráfego de entrada da Cidade.

Durante os estudos para as mudanças, foram realizados encontros com comerciantes da região da passagem subterrânea. A principal reivindicação deles era impedir o isolamento desse entorno.

Os preparativos para essas mudanças aconteceram há alguns dias, com outras modificações, como a implantação de mão única de direção em toda a extensão da Rua Casarejos, entre a Rua Presidente Campos Salles e a Avenida Prefeito Carlos Ferreira Lopes.

Esse acesso será uma das principais alternativas para quem trafega entre a Vila Industrial e o Mogilar.

Linhas municipais e intermunicipais que passam pela Rua Engenheiro Gualberto serão transferidas para a Rua Casarejos. Ainda está sendo definida a localização dos novos pontos e abrigos para passageiros.

Uma das medidas já implantadas foi a instalação de um semáforo piscante, reprovada por comerciantes (veja matéria nessa página).

Expectativa

Comerciantes vivem o clima de expectativa, quase um ano e meio depois do fechamento do tráfego de veículos para a construção da passagem subterrânea. Muitos fazem parte de um grupo no WhatsApp, que permitiu uma interlocução entre eles, a Prefeitura e a Associação Comercial de Mogi das Cruzes. Um dos administradores dessa rede de contatos é o mogiano Mohamed Issa, de 38 anos.

Arquiteto e urbanista que possui uma loja de materiais de construção na Cabo Diogo, ele acredita que, com a abertura do túnel, os comerciantes do lado de baixo da linha férrea serão beneficiados. “Nós estamos batalhando para que as mudanças não isolem o comércio, permitindo que o cliente circule com facilidade por aqui”, disse. A implantação da mão dupla era um dos pedidos dos lojistas, durante a espera pela conclusão do Túnel 1, no sentido Bairro-Centro.

Dono de um comércio de calhas desde 1969 na Rua Hamilton Silva e Costa, o mineiro Expedito Donato Fontana comemora o fim de uma longa espera. “Já era para Mogi ter acabado com isso há muito mais tempo”, acentua, acreditando que o movimento de carros e pessoas será positivo para os lojistas.

Nascido em Ouro Preto, Fontana reside na Cidade desde 1964. Aos 80 anos, ele viu a pequena Mogi crescer até contar, segundo o IBGE, cerca de 430 mil de habitantes. Ele comentou a demora para dar fim à segunda passagem de nível – a primeira, a passagem Oswaldo Crespo de Abreu, ainda conhecida como “Buraco do Padre”, abriu 18 anos atrás.

“Era um atraso, a cancela fechar a cada um minuto para o trem passar, e os carros ficarem todos parados. Desde o prefeito Carlos Alberto Lopes, Mogi espera isso”, lembrou, compartilhando uma ideia particular para reduzir os impactos provocados pela passagem dos trens. “Se fosse o prefeito, eu teria construído um terminal “rodoferroviário” no terreno da antiga Cosim, e os ônibus levavam os estudantes e as pessoas até as universidades”.

Toda a obra está custando R$ 128 milhões, uma bolada a ser paga com recursos municipais e federais. O segundo túnel está em construção e projeta-se a conclusão em meados de 2017.

Ao inaugurar a obra, o prefeito Marco Bertaiolli (PSD) conclui um dos principais projetos viários para a melhoria do trânsito e a modernização do Centro.



E deixa para os futuros prefeitos, as demais passagens de nível que continuarão “fatiando” a Cidade ao meio para a passagem dos trens.

Opinião

Quando começaram os serviços para a implantação de um semáforo piscante no cruzamento das ruas Hamilton Silva e Costa e Salvador Cabral, o comerciante Marcel Dias pensou: “Isso não vai dar certo”.

Há 24 anos proprietário de uma casa de móveis, objetos e quinquilharias ainda em condições de uso, ele perdeu as contas de acidentes registrados no cruzamento, mesmo com a redução do fluxo de veículos, provocada pela interrupção do tráfego para construção da passagem subterrânea. “Se eles deixarem apenas esse semáforo, serão responsáveis pelo que vier a acontecer. Hoje, sem o aumento do trânsito, os acidentes são constantes. Alguns, graves”, comentou.

A cabeleireira Renata dos Santos Alves reforça os riscos enfrentados pelos pedestres. “A faixa é desrespeitada por muitos motoristas”, diz. Segundo ela, são comuns acidentes com ciclistas, motociclistas e atropelamentos.

Funcionário há 10 anos no posto de gasolina Gran Mogi, Tomaz Ferreira Filho teme o aumento das ocorrências. “Já vi fratura exposta e muito sofrimento depois dos acidentes. E eles acontecem durante o dia e à noite. E também temo pelos nossos funcionários porque, em alguns casos, os carros e motos batidos acabam parando dentro do posto”, acrescenta.

Marcel, Renata e Tomaz estão animados com a abertura do primeiro dos túneis do Complexo Viário Jornalista Tirreno Da San Biagio. No início, segundo o gerente do posto de gasolina, houve uma redução de até 40% nas vendas. “O período de fechamento também coincidiu com a crise econômica”, acresceu ele.

Prefeitura

O semáforo piscante servirá de alerta aos motoristas, segundo a Secretaria Municipal de Transportes. O local será monitorado pelo Departamento de Engenharia de Tráfego que poderá, no futuro, instalar outro tipo de equipamento, se houver necessidade técnica. Isso dependerá, no entanto, do comportamento do tráfego no local, após a inauguração da obra. O mesmo poderá acontecerá no quarteirão seguinte, entre as ruas Salvador Cabral e Casarejos.


ELIANE JOSÉ
Fonte: http://odiariodemogi.com.br/passagem-subterranea-abre-dia-10-transito-tem-alteracao/#!prettyPhoto

Mulher é atropelada entre as estações General Miguel Costa e Carapicuíba

Compartilhe
Na manhã de hoje, 2, por volta das 9h uma mulher foi atropelada entre as estações Carapicuíba e General Miguel Costa da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

Segundo informações da empresa, a vítima foi socorrida com vida e encaminhada ao Hospital Regional de Osasco. A circulação de trens não foi interrompida e segue com operação normal.

A CPTM também informou que existem duas comunidades próximas às estações e os moradores costumam atravessar pelos trilhos. No local existe um muro de dois metros de altura para impedir a travessia, mas ainda assim é recorrente ver pessoas atravessando a via.

Fonte: http://www.visaooeste.com.br/mulher-e-atropelada-entre-as-estacoes-general-miguel-costa-e-carapicuiba/

Reconstrução de estações em Itaquaquecetuba não sai do papel

Compartilhe
A Estação de trem de Itaquaquecetuba, que possui “cachoeiras” em dias de chuva (Lucas Landin/Folhapress)
Às 5h,  antes do sol nascer, a bibliotecária Therezinha Aoki, 57, está a postos na plataforma da estação Aracaré da CPTM, na periferia de Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo.

Ofegante, após descer diversos lances de escada, a funcionária pública lamenta a falta de um elevador na estação. “Tenho dor nas pernas de subir e descer essas escadas. Mas fazer o que, né? A gente se acostuma.”

Porém, na velha parada construída em 1950 pela Estrada de Ferro Central do Brasil, a falta de acessibilidade não se limita apenas às longas escadarias. Os usuários com mobilidade reduzida também sofrem na hora de embarcar nos novos trens, que ficam desnivelados em um degrau em relação à velha plataforma.

Perto dali, na estação Itaquaquecetuba, no centro do município, a situação não é melhor. As telhas da plataforma estão em mau estado de conservação e, em dias de chuva, “cachoeiras” se formam a partir dos diversos buracos.

Itaquaquecetuba possui três estações de trem da CPTM que servem para ligar a cidade ao Brás, na capital, e aos demais municípios do Alto Tietê. No entanto, as estações Aracaré, Itaquaquecetuba e Engenheiro Manoel Feio são as únicas da linha 12-Safira que não receberam melhorias nos últimos anos.

Em 2013, o governador Geraldo Alckmin esteve na cidade e prometeu que as obras de reconstrução de duas delas seriam licitadas e teriam início no mesmo ano. Todavia, até hoje nada aconteceu.

“Nos sentimos abandonados. Reformaram a estação em Suzano, em Poá, no Itaim [Paulista, zona leste de São Paulo], e aqui nada. A estação é a mesma da época que eu tinha 20 anos, mas a passagem não, ela aumenta todo ano”, conta o funcionário público Adailton José da Silva, 63. “Eu já não acredito mais nas promessas de reforma”, lamenta.

Pelas redes sociais, a população chegou a fazer um abaixo-assinado online para que a CPTM reconstrua as estações.

Procurada, a empresa não se pronunciou.

Lucas Landin, 20, é correspondente de Itaquaquecetuba e Poá
lucaslandin.mural@gmail.com

Fonte: http://mural.blogfolha.uol.com.br/2016/12/02/promessa-de-alckmin-reconstrucao-de-estacoes-em-itaquaquecetuba-nao-sai-do-papel/

Após assaltos, motoristas do Uber pedem suspensão do pagamento em dinheiro

Compartilhe
Opção de pagamento em dinheiro foi implementada em junho e assaltos e sequestros relâmpagos tornaram-se mais comuns.

Os motoristas do Uber pedem à empresa a suspensão da forma de pagamento em dinheiro no aplicativo, após onda de assaltos. A opção do pagamento em dinheiro passou a ser oferecida aos usuários do aplicativo em junho.

Nesta quarta-feira (30), três adolescentes foram detidos durante tentativa de assalto a um motorista do aplicativo Uber, na Zona Oeste de São Paulo. Nos últimos dois meses foram contabilizados trinta assaltos na região, segundo policias militares.

De acordo com Carlos Vidal, motorista da Uber, assaltos e sequestros relâmpagos tornaram-se comuns na vida dos seus colegas de profissão.

“Essa sensação de insegurança entre os motoristas é constante, 24 horas por dia, só por conta das chamadas em dinheiro”, diz Eduardo Schaeffner, motorista da Uber.

Os motoristas querem que o pagamento seja pré-pago e que o aplicativo ofereça um "botão de pânico" aos motoristas, caso ele se encontre em situação de risco. E que também seja feita uma verificação de segurança quando os usuários efetuarem o cadastro no aplicativo.

Por questão de segurança, o aplicativo Cabify, que oferece serviço parecido ao da Uber, só aceita o pagamento pelo cartão.

Para o diretor da Cabify no Brasil, Daniel Bedoya, o pagamento em dinheiro traz mais risco na operação, “ uma vez que uma pessoa portando dinheiro ela acaba sendo muito assediada por momentos de risco”.


Por G1 São Paulo

Vídeo mostra salto mortal na frente de metrô

Compartilhe
Cenas viralizaram na rede ao mostrar russo fazendo acrobacia na frente do trem que passava pelos trilhos.

A Rússia é mesmo um país único. Desta vez, um vídeo, que vem gerando dúvidas sobre sua veracidade na internet, mostra um rapaz realizando um salto mortal dentro de uma estação de metrô. 

O que haveria de anormal na situação? É que a acrobacia foi feita momentos antes do trem do mêtro passar pelo local. Muitos questionaram se o vídeo seria computação gráfica e alertaram sobre os riscos que a 'prática' pode trazer.



Fonte: http://arede.info/insana/136339/video-mostra-salto-mortal-na-frente-de-metro
As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).