11 de junho de 2014

Sindicato afirma que dois foram readmitidos; Metrô nega

Dois dos 42 metroviários demitidos pelo governo Geraldo Alckmin (PSDB) teriam sido readmitidos pelo Metrô, informou o sindicato da categoria. Segundo a entidade, os d
ois profissionais, um segurança e um agente de estação, receberam telefonema dos departamento de recursos humanos da empresa na manhã desta quarta-feira, 11, comunicando a readmissão.

Por meio de nota, no entanto, a assessoria de imprensa do Metrô negou a informação e disse que "nenhuma demissão foi revista". O Sindicato dos Metroviários, que realiza uma assembleia às 18h30 para definir se volta a entrar em greve nesta quinta-feira, 12, informou que a readmissão "é a nossa primeira vitória e mostra que é possível a reintegração de todos os admitidos". A anulação das demissões tornou-se a principal reivindicação dos metroviários.

Em uma audiência de conciliação entre as partes na Delegacia Regional do Trabalho (DRT), no centro, na segunda-feira, o presidente do Metrô, Luiz Antonio Carvalho Pacheco, chegou a admitir a possibilidade de não demitir 40 dos 42 dispensados. Entretanto, pouco depois, uma ordem do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo Alckmin, desautorizou a recontratação de qualquer demitido.

Estadão
Comentários
0 Comentários
As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).