Direto do MetrôAtualizado em: 17/05/2018 17:41

Metrô
Linha 1 -AzulOperação Normal
Linha 2 -VerdeOperação Normal
Linha 3 -VermelhaOperação Normal
Linha 5 -LilásOperação Normal
Linha 15 -PrataOperação Normal

26 de novembro de 2013

Usuários do Metrô colam placas em protesto contra 'superfaturamento' de licitações

A autoria das placas de protesto é desconhecida - Trajano Pontes/Instagram


 Passageiros do Metrô colaram nas paredes dos trens placas com mensagem em protesto contra o suposto caso de formação de cartel para o superfaturamento de licitações. Como se fosse um aviso aos usuários, a placa traz a frase "Este trem foi superfaturado em uma licitação fraudulenta".

A autoria é desconhecida. O ato ganhou destaque nas redes sociais após uma foto ter sido publicada no Instagram no último domingo, 24.

Após tentar, sem sucesso, descobrir o responsável pelo protesto, o designer gráfico André Buika, integrante do coletivo ProtestARTE, recriou duas versões da placa em alta definição e as disponibilizou para download em seu site. Na primeira, mais fiel, Buika apenas acrescentou a frase de rodapé "Enquanto você paga caro para se espremer como uma lata de sardinha, seus governantes gozam da sua cara" - na original, está ilegível. Já na segunda versão, o designer desenhou um tucano com notas de dinheiro em alusão ao PSDB.

"Acredito que a intervenção artística nas ruas tenha um alcance maior e mais rápido. Não existe o vômito de informação como há, por exemplo, em um alto-falante", afirma Buika. Por ser um profissional autônomo, o designer trabalha de casa, utiliza pouco o Metrô e, por isso, não viu as placas nos trens. Porém, segundo ele, alguns amigos já as viram.

Em nota, o Metrô declarou que é "contra ações que causem danos ao patrimônio público" e que "já tomou as medidas necessárias para retirar os adesivos e evitar que voltem a ser colocados".

Fonte: Estadão 

Nenhum comentário:

RESPONSABILIDADE

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.