11 de janeiro de 2014

Monotrilho tem trepidação em viagem de teste

Monotrilho se aproxima da Estação Oratório - Robson Fernandjes/Estadão
Parece um trem de metrô. Mas trata-se do monotrilho. A reportagem participou na manhã desta sexta-feira, 10, de um teste aberto à imprensa na primeira composição que circulará a partir de março na futura Linha 15-Prata do Metrô de São Paulo. 

O que a distingue das demais são as janelas grandes e, quando em movimento, a trepidação, maior que a dos demais trens da rede metroviária.

A composição rodou por um trecho de cerca de 800 metros entre a Estação Oratório, que ainda está em construção, e o pátio de manutenção, na Vila Prudente, na zona leste da capital paulista. O trajeto foi vencido em aproximadamente dez minutos, já que, por questões de protocolo de segurança, o trem andou a no máximo 20 km/h, só um quarto da velocidade que o veículo pode alcançar.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) havia confirmado presença no evento, mas não compareceu. Sobre a leve tremedeira, o secretário estadual dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, disse que ela ocorreu porque o monotrilho passou por um “trecho não comercial”, ou seja, por onde o trem não passará com passageiros quando a linha estiver pronta. “Em situação de reta e mais próxima dos 60 km/h, que será a velocidade normal dele, esse trepidar fica atenuado.”

Fernandes também garantiu que o polimento das vigas de concreto por onde desliza o monotrilho reduzirá as vibrações.

Por sua vez, os “janelões” do trem chamam a atenção, especialmente porque eles dão para o “nada” – não há grades entre elas e a paisagem, como em linhas de metrô, já que o monotrilho corre suspenso por uma viga central de concreto, em vez de trilhos tradicionais. “Olha lá para baixo. Você não tem medo de altura, não é?”, brincou Fernandes com a reportagem. As vigas têm cerca de 15 metros de altura.

O dirigente prometeu entregar o primeiro trecho da Linha 15, entre as Estações Vila Prudente e Oratório, no fim de março, ou seja, com dois meses de atraso em relação ao cronograma divulgado pelo governo Alckmin no ano passado. No entanto, a operação comercial plena só deve ocorrer entre o fim de maio e o início de junho. Até lá, quatro trens circularão pelo ramal.

Cada trem poderá transportar cerca de mil passageiros, metade de um trem de metrô. A Linha 15 estará completa em 2016, ligando a região da Vila Prudente à Cidade Tiradentes, com 26 km de extensão e 18 estações. Ela custará R$ 6,4 bilhões para ser construída.

Acidente. Durante o evento que marcou a viagem de teste, um cinegrafista da TV Record feriu a perna direita. As informações iniciais indicavam que ele prendeu o membro no vão entre o trem e a plataforma, que, na Estação Oratório, é maior do que nas demais paradas de metrô. Contudo, nem o Metrô nem a emissora confirmaram a informação. O câmera foi levado em uma ambulância para o Hospital Villa-Lobos, na Mooca, na zona leste, onde passou por exames como raio X. Ele deixou a unidade no fim da tarde e não corria riscos, segundo a TV Record.

Segundo o secretário Jurandir Fernandes, o vão entre a composição e a plataforma será diminuído antes de a estação ser aberta ao público.


Batida. O trem que participou da viagem de teste nesta sexta-feira é o mesmo que bateu em um molde de madeira da obra no fim do ano passado, em uma das primeiras movimentações do veículo entre o pátio e a Estação Oratório. Ninguém se feriu, mas o Metrô precisou trocar parte da proteção externa das rodas.

Estadão
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).