5 de julho de 2015

Opinião do passageiro vai influenciar pagamento a empresa de ônibus de SP

O objetivo é poder remunerar de forma diferente linhas que são importantes mas que têm baixa

Os passageiros de ônibus vão decidir em parte qual será a remuneração das empresas que vencerem a licitação para operar o transporte público de São Paulo nos próximos 20 anos.

De acordo com decreto publicado nesta sexta-feira (3) no "Diário Oficial", a opinião dos usuários vai entrar no cálculo do que os empresários vão receber do poder público.

Atualmente, os pagamentos são baseados apenas no número de passageiros transportados.

De acordo com o decreto, assinado pelo prefeito Fernando Haddad (PT), a satisfação dos usuários em relação à qualidade do serviço será identificada por meio de pesquisas.

Os critérios e o peso dessas opiniões serão definidos no edital da licitação que ainda será publicado pela prefeitura. Segundo o secretário dos Transportes, Jilmar Tatto, a ideia é que avaliação dos passageiros influencie cerca de 10% da remuneração.

A forma de repasse de verba pública às concessionárias será revisto a cada quatro anos de contrato. O município também vai usar indicadores de custos operacionais e a eficiência das empresas para calcular os pagamentos.

O objetivo é poder remunerar de forma diferente linhas que são importantes mas que têm baixa demanda (como as da madrugada) e conceder bônus de desempenho às empresas que conseguirem prestar o mesmo serviço com um custo menor.

A licitação vai dividir a cidade em 27 lotes de linhas em toda a cidade, ao invés das nove atuais, com três tipos de operação. O primeiro é o "local", que vai atuar dentro dos bairros, com veículos menores e micro-ônibus.

O segundo será chamado de "alimentador" e será responsável por levar os passageiros dos bairros até os corredores de alta circulação, além de estações de trem ou metrô.

O último é o sistema "estrutural", que vai operar em grandes corredores e avenidas com a função de levar muitos passageiros, geralmente em veículos articulados ou biarticulados, até a região central.

As linhas foram separadas nas categorias dia útil, horário de pico, domingo e madrugada para personalizar esses atendimentos. A rede noturna foi a primeira a ser implantada na cidade, em fevereiro, e conta com 151 linhas.

Correio do Estado
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).