28 de novembro de 2016

Aplicativo permite que passageiro reserve assentos em ônibus executivo no Rio

Poucas situações cotidianas causam tanta alegria quanto chegar ao ponto de ônibus em um dia típico de verão e dar de cara com um frescão. E para quem viaja para o Rio de Janeiro com mais frequência, o ônibus executivo é uma ótima alternativa para se livrar do calor intenso na cidade carioca.

É claro que nem sempre eles aparecem no momento em que precisamos ou estão com assentos disponíveis. Para evitar isso e facilitar o dia a dia, a empresa Brave Invest lançou o Moov, aplicativo de compra e reserva de poltronas em frescões.

A ferramenta permite que os passageiros comprem o tíquete antecipadamente, escolhendo o assento, a forma de pagamento (incluindo cartão de crédito, via app) e o ponto de embarque e desembarque. Assim, você chega no ponto somente no horário marcado, podendo acompanhar o veículo via GPS.

O motorista, por sua vez, tem acesso a um tablet, atualizado em tempo real, que informa os pontos de parada para embarque e desembarque.

“Isso proporciona economia de 30 a 40 minutos de tempo de viagem em comparação com os ônibus executivos que param de ponto em ponto. Além disso, oferece mais segurança, uma vez que todos os usuários são cadastrados”, explica João Zecchin, CEO da companhia.

Próxima parada

É bom ficar atento, o aplicativo, por enquanto, oferece duas linhas: Recreio – Centro, que passa pela zona sul e São Conrado, e Candelária – Ribeira, que passa pela av. Presidente Vargas. Até janeiro, a empresa promete inaugurar outra opção para quem usa o primeiro itinerário, que passará pela Linha Amarela, oferecendo um trajeto mais rápido.

“Nossa meta é expandir para outros bairros e rotas, de acordo com o aumento de procura pelo serviço”, complementa Zecchin.

O serviço funciona em dias úteis, das 5h20 às 20h30, com valores que variam de R$ 8 a R$ 14.

O aplicativo está disponível para Android e iOS e é gratuito.  


Metro Jornal 

Nenhum comentário:

RESPONSABILIDADE

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.