31 de agosto de 2017

CPTM fica distante dos perfis colaborativos e seguranças reprimem pessoas de tirarem fotos nas estações

Companhia vem ficando em silêncio nas redes sociais e não respondem perfis colaborativos. Nas estações, Companhia diz que não é possível autorizar sessões fotográficas.

Os perfis colaborativos foram criados para facilitar nas informações para os passageiros. São informações que são passadas de passageiros comuns sobre as situações do transporte coletivo em tempo real.  E isso serve como apoio para as Companhias de transportes em São Paulo.  Alguns perfis vieram antes das criações das redes sociais oficias.

“- Tinha uma falha na estação Jaraguá, ninguém dava nenhuma informação, e como a CPTM não tinha nenhum perfil nas redes sociais, eu mesmo criei, para informar outros passageiros.” Disse Ricardo Guimarães, que criou o Diário da CPTM em 2010. “- As informações são em tempo real, e de passageiro para passageiro, para que você fique bem informado sobre a situação das linhas.” É o que conta Igor Roberto, criador do CPTM Noticiando em 2012. Existem outros perfis que também foram criados ao longo dos anos, mesmo após a criação dos perfis oficiais das Companhias: Usuários Metrô SP, criado por Adilson no Twitter em 2011, CPTM da Depressão, criado por Mavyn Munhoz em 2012, Mobilidade Sampa, criado pelo Eduardo Paulino em 2014, SAC Noticias, criado por Denis Castro em 2015, Olhares do trecho criado recentemente, em 2017, por Lucas Mendes, entre outros perfis. Todos com o intuito de informar e colaborar para que passageiros saiba tudo.

Só que de um tempo para cá, o relacionamento com a CPTM vem ficando cada vez mais complicado. A Companhia vem ocultando muitas informações, principalmente de falhas. Aquilo que ela informa nas redes sociais, muitas vezes acaba não refletindo a realidade. Emissoras de telejornais já informaram que o aplicativo não condiz com a realidade. A Companhia, tem se afastado nas interações com os perfis colaborativos. Nas redes sócias, somente os perfis pessoais e de passageiros eles respondem, e mesmo assim, com respostas padronizadas, e torna uma Censura aos perfis colaborativos. 

Como não bastasse ter se afastado no relacionamento com os perfis colaborativo, a CPTM vem coibindo de tirar fotos das plataformas e também dos trens.  “- Fui tirar uma foto na estação Brás na Linha 11-Coral sentido Guaianases, na grade onde divide para o embarque preferencial e os seguranças disseram que não podia tirar foto, e questionei, e eles disseram que não pode porque é lei e tem que ter autorização.” é o que relata Willian Moreira, um dos mediadores do Diário da CPTM. “- fui realizar uma transmissão ao vivo com o celular para o CPTM Noticiando na estação Engenheiro Goulart, para informar os passageiros como seria a situação da Linha 12-Safira no final de semana, e após uma locomotiva da manutenção passar pela via na estação e transmitir ela, um segurança veio falar que não podia filmar e questionou se eu tinha autorização para filmar, e eu falei que era dos perfis noticiando, ele disse que tinha ordem para ninguém filmar.” Disse Wiliam Venâncio, que ajuda a administrar o CPTM Noticiando. “- Por duas vezes fui encaminhado à delegacia de Policia em situações onde a companhia teria me expulsado da estação devido a minha insistência em continuar fotografando e acabou sendo obrigada a devolver meu direito de viagem por ordem dos delegados, sendo um deles da DELPOM alegando exatamente o fato da sobreposição das normas da CPTM com as leis constitucionais.” conta Denis Castro, administrador do SAC Notícias.

E até aqueles que são amantes de tirar fotos de trens, a segurança vem informando que não é permitido. Mesmo que a pessoa utilize o seu celular para fazer um registro de uma composição, em uma área segura da plataforma e não atrapalhando os passageiros, os seguranças informam que tem ordens expressas para não deixar tirarem fotos, ou até mesmo gravar vídeos. Nas estações e nos regulamentos da Companhia, não tem nenhuma informação que proíba pessoas de tirarem fotos ou gravar vídeos.

Em nota, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), informou que as áreas externas e públicas das estações da CPTM podem ser fotografadas mesmo sem autorização expressa da Companhia, desde que o objetivo não seja comercial. Quanto às áreas operacionais, por motivo de segurança, não é possível autorizar sessões fotográficas. Também não podem ser utilizados equipamentos com tripés, suportes ou que necessitem de auxílio para transporte e posicionamento. Caso tenha respeitado todas essas orientações e ainda assim tenha sido impedido de tirar fotos, sem fins comerciais e sem câmeras profissionais, a Companhia orienta que entre em contato com a Central de Atendimento (0800 055 0121) informando o ocorrido, a localização e as características dos empregados que impediram a realização das fotos, para que seja verificado.

Além disso, a CPTM não tem realizado mais reuniões com os perfis colaborativos, como em algumas gestões anteriores  ao Paulo Magalhães, que é o atual presidente da Companhia. Na gestão de Sérgio Avelleda, ocorriam reuniões com os perfis e havia uma interação com os mesmos, ouvindo críticas, opiniões, elogios, ideias, etc., sobre o que poderia melhorar ou acrescentar no trabalho da Companhia. Paulo Magalhães, desde que assumiu a presidência da empresa até a atualidade, não fez nenhuma reunião para conversar e ouvir os perfis. E ele havia informado que iria realizar reuniões trimestrais com todos os perfis, mas não ocorreu. Somente uma equipe do marketing da empresa realizaram poucas reuniões, com os perfis separados e em dias diferentes, o que não resultou para que melhorasse o atendimento da empresa para com os passageiros e com os perfis. Queremos de volta as reuniões com o Presidente da Companhia, assim como era realizado na gestão anterior, e assim discutir ideias, opiniões, etc., para assim contribuir para uma CPTM melhor para os passageiros.
Postar um comentário

RESPONSABILIDADE

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.