23 de outubro de 2014

Estação Fradique Coutinho tem novo atraso e deve funcionar em novembro

Inicialmente, a estação do Metrô seria entregue em setembro.
Atrasos são decorrentes do licenciamento ambiental, diz Metrô.

A operação comercial da Estação Fradique Coutinho, da Linha 4-Amarela do Metrô de São Paulo , vai demorar mais um mês para começar. O Metrô informou, na manhã desta quinta-feira (23), que os trens devem começar a operar no mês de novembro.

A previsão inicial, informada em 19 de agosto pelo secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, era de que a estação seria inaugurada em 25 de setembro . Porém, na data, a assessoria de imprensa do Metrô confirmou atraso, dizendo que a operação começaria em outubro . Agora, a entrega foi adiada novamente.

Há ainda outras duas estações, que fazem parte da segunda fase de inaugurações na linha, que ainda estão em obras. As estações Oscar Freire e Higienópolis-Mackenzie, segundo a companhia, devem ter a fase de obras civis concluída até o fim de 2014. Não foi informada, porém, a data de início da operação comercial.

Em 19 de agosto, o secretário de Transportes havia dito que a estação Oscar Freire deveria ser entregue no fim deste ano, e a Estação Higienópolis, até março de 2015.

O Metrô informou, por meio de nota, que as alterações no cronograma inicial das obras foram "decorrentes, principalmente, ao licenciamento ambiental, autorização de ocupação de viários e retirada de interferências junto às concessionárias de serviços públicos".

Na mesma nota, o Metrô diz que "há ainda alguns atrasos na execução das obras civis, decorrentes de tratamento de solo devido à grande presença de água na estação Higienópolis-Mackenzie ia proximidade de edificação junto à estação Oscar Freire".

As estações Fradique Coutinho, Oscar Freire e Higienópolis ficam no trecho da Linha 4-Amarela e estão localizadas entre a Praça da República e a Estação Pinheiros.

G1

RESPONSABILIDADE

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.