3 de março de 2016

Falhas graves na CPTM crescem 39% em quatro anos

Neste ano, a companhia já sofreu ao menos seis panes que afetaram a circulação dos trens e prejudicaram os usuários

O número de panes graves – com interrupção da circulação dos trens – nas seis linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) aumentou quase 40% entre 2012 e 2015, de acordo com levantamento feito pelo site Fiquem Sabendo com base em dados da companhia, obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação. Foram 28 paralisações em 2012, 36 em 2013, 36 em 2014, e 39 em 2015, um aumento de 39,3% do primeiro ao último ano do levantamento.

De acordo com os dados, as falhas técnicas no sistema vêm diminuindo. Em 2014, foram 22 interrupções de circulação por falha no sistema operacional da rede, ante 20 no ano passado. Porém, as panes provocadas por agentes externos cresceram 36%. Alagamentos e interrupção no fornecimento de energia elétrica foram as principais causas das 19 panes ocorridas em 2015. Em 2014, haviam sido 14.

Neste ano, a CPTM já sofreu ao menos seis panes que afetaram a circulação dos trens e prejudicaram os usuários. A Linha 7-Rubi (Luz-Jundiaí) teve uma pane na rede elétrica, no dia 6 de janeiro, e um problema em um equipamento de via, na sexta-feira (26). A Linha 8-Diamante (Itapevi-Júlio Prestes) teve problemas com falta de energia nos dias 4 e 29 passados. A Linha 9-Esmeralda (Osasco-Grajaú) teve uma falha no sistema operacional no último dia 18. E a Linha 11-Coral (Luz-Estudantes) sofreu uma falha na rede elétrica um dia depois.

Por meio da nota, a CPTM amenizou o problema, justificando que houve queda no número de panes técnicas e aumento nas causadas por agentes externos.

“No balanço total das paralisações, o aumento das ocorrências foi provocado pelo maior número de interferências externos na faixa ferroviária. É importante lembrar que a ferrovia é um sistema que opera a céu aberto, com rede aérea de energia. Portanto, está sujeita às interferências externas provocadas por fenômenos naturais, como inundações na via por excesso de chuvas, descargas elétricas atmosféricas, vandalismos em equipamentos ou sistemas ferroviários, manifestações públicas, queda de árvores”, justificou a empresa.

Fonte: http://www.redebrasilatual.com.br/cidadania/2016/03/falhas-na-cptm-cresceram-40-em-quatro-anos-5969.html
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).