5 de fevereiro de 2016

Ferroviários da CPTM decretam estado de greve

Categoria decide pelo “estado de greve” após rejeitar proposta da CPTM para o PPR 2015

 

Os ferroviários da CPTM rejeitaram, em assembleia realizada na quarta-feira, dia 03, a proposta para o Programa de Participação nos Resultados 2015 apresentada pela CPTM.

 

A empresa vem com um retrocesso em relação ao PPR de 2014 e não levou em conta as discussões durante as negociações do ACT- 2015 no TRT. Desde julho do ano passado estamos em negociação, buscando uma proposta consensual, que respeite nossas conquistas até agora alcançadas, mas, o que vemos é a diretoria da CPTM fechada com uma única proposta: cortar, cortar, cortar... Uma atitude desrespeitosa com a categoria que é cada vez mais exigida! Defendemos a meta “Passageiros Transportados” como no acordo anterior, com 2% de crescimento. Pela projeção dos números já definidos, conseguimos atingir esse indicador, o que, caso haja acordo, poderá garantir o valor mínimo para o PPR-15, de R$ 3.840,71.

 

A CPTM quer aumentar a meta para esse indicador (sem pagamento mínimo); esse é o único indicador que TEM PARTICIPAÇÃO DIRETA DOS TRABALHADORES, conforme foi definido pelo TRT em negociações anteriores.

 

A categoria continua aberta à negociação e decidiu pelo “estado de greve” até o dia 19 de fevereiro para que a CPTM reavalie e melhore sua proposta. Se a empresa continuar intransigente poderá ser deflagrada GREVE por tempo indeterminado.

 

Redação Diário da CPTM

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).