8 de junho de 2015

Previsto para Copa em SP, monotrilho de Congonhas não abrirá nem na Olimpíada

Incentivada pela promessa de inauguração do monotrilho da linha 17-ouro e do fluxo de turistas atraídos pela Copa do Mundo, a empresária Marlene Aranha abriu em 2013 um restaurante ao lado da futura estação Congonhas, na zona sul de São Paulo.

Hoje, em vez de “ouro” nos negócios, convive com a ferrugem que tomou conta das armações expostas sobre vigas e no chão dos canteiros de obras. De tanto atraso, a “linha da Copa” não ficará pronta nem mesmo até a Olimpíada de 2016, no Rio.

“Pensei que meu movimento aumentaria, mas as obras diminuíram os clientes em mais de 10%. A maioria das pessoas não passa aqui por medo. A região ficou isolada, sem segurança”, diz.

O empreendimento a cargo do Metrô é agora previsto para 2017 pelo governo Geraldo Alckmin (PSDB) –que também já fez a revisão do cronograma de outras linhas.

Em seu primeiro trecho, de 7,7 km e 8 estações, ligará a estação de trem do Morumbi ao aeroporto de Congonhas. A estimativa é que transporte 420 mil usuários por dia. A obra completa, com 17,7 km, deve custar R$ 5,1 bilhões.

Na linha 17, a aparente deterioração de materiais pendurados ou deixados no chão desperta a atenção de vizinhos –que se queixam ainda da falta de equipes na obra.

“Além de tirar a visão da loja, fecharam a rua. Ninguém mais nos encontra. O pior é eles fazerem isso e só dois ou três ‘gatos pingados’ trabalham. Nada da obra sair do lugar”, diz Rildo Oliveira Jorge, 32, que trabalha em
um comércio de locação de veículos.

Folha percorreu toda a extensão da linha em dias úteis nas últimas semanas, fora do horário de almoço.

No trajeto, encontrou poucos funcionários. As exceções foram na futura estação vereador José Diniz (onde havia dezenas) e no pátio de manobras do Campo Belo -onde foi agendada uma entrevista com Walter Castro, diretor de engenharia do Metrô.

Castro afirma que a sensação de que a obra está quase parada não reflete a realidade –diz haver 1.300 funcionários atuando diariamente.

Ele ressalta que há obras paralelas na região. “Estamos fazendo uma canalização naquela região de Congonhas. Ali tem um histórico de alagamentos e não podemos fazer uma estação em cima de um lugar nessas condições.”

O Metrô afirma que esses sinais de ferrugem não representam riscos à estrutura. Para a doutora em engenharia de estruturas pela USP Karen Niccoli Ramirez, como parece ser superficial, e não estrutural, esse problema poderá ser revertido com limpeza.

A corrosão, porém, dá a sensação de que se está numa obra velha, e não nova, que ainda será inaugurada.

“Vejo ferrugem desde que começou a chover”, diz Ademir da Costa, 33, piloto comercial, que passa pela obra diariamente há cinco anos, mas diz não ver evolução significativa. “Até a Copa tinha muita gente trabalhando, depois sumiram. No último ano, só tiraram entulho de uma viga que tinha caído”, afirma.

O diretor do Metrô diz que um dos principais motivos de atraso na linha 17 foi a demora para a liberação da licença ambiental. Também cita entraves nas desapropriações e nos tipos de solo da região.

Segundo Castro, 20% dos trilhos ainda não foram colocados por causa da suspensão, pelo Ministério do Trabalho e Emprego, desde 2014, do içamento de vigas –devido à morte de um operário.

“Recentemente, eles liberaram a instalação dos trilhos retos. Mas ainda pedem exigências para as curvas de raios menores”, afirmou.

Fonte: UOL.com.br

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).

Apartamento em Francisco Morato finaciado pela Caixa

Apartamento em Francisco Morato finaciado pela Caixa
ÚNICO DA REGIÃO ENTREGUE TOTALMENTE ACABADO, COM PISO EM TODAS AS ÁREAS ✅ ESCRITURA GRÁTIS! 💥 APARTAMENTOS LOCALIZADOS A 1,8 KM DA ESTAÇÃO BALTAZAR FIDÉLIS 💥 Se você: ✅ Trabalha registrado ✅ Possui renda familiar de R$ 2200 ou mais ✅ Possuis FGTS Não perca mais tempo, saiba que você possui um excelente potencial de financiamento e não pode deixar essa oportunidade escapar! SUA OPORTUNIDADE CHEGOU ✅ 1 Vaga ✅ Condomínio com portaria 24hs. ✅ Piscina ✅ Salão de Festas ✅ Churrasqueira ✅ Quadra ✅ Playground ✅ Plantas de 46 e 46 M². O único da região que entrega totalmente acabado e pronto para morar ***Use seu FGTS *** Financiamento Caixa Econômica Federal *** Entrega garantida pela Caixa prevista para maio de 2019. Localização Município: Francisco Morato CEP do imóvel: 07996-005 Bairro: Res São Luis VISITAS SOMENTE COM AGENDAMENTO PRÉVIO Fale com agora mesmo no telefone ou WhatsApp com: RICARDO - 11-987405205