23 de maio de 2015

Em caso de greve, sindicato pagará multa salgada

Metroviários e Ferroviários pretendem paralisar as operações na próxima quarta (27), em São Paulo

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) determinou na quarta-feira (20), que em caso de greve do metrô na capital paulista, um número mínimo de funcionários deverá permanecer em operação, caso contrário haverá pena de multa diária de R$ 100 mil.

A categoria decidiu parar a partir da 0h da próxima quarta-feira (27). Em assembleia, a CPTM também decidiu paralisar as operações. Ambas pretendem negociar até terça-feira com o governo do Estado.

O desembargador Mauro Vignotto informou que 100% do efetivo deverá trabalhar das 6h às 9h e das 16h às 19h e 70% nos outros horários. 

Os metroviários reivindicam 9,49% de reajuste salarial e a volta dos 38 funcionários demitidos no ano passado. Já os ferroviários pedem reajuste da inflação, 7,89% e mais de 10% de aumento real;  pagamento de R$ 5.000 de Programa de Participação nos Resultados (PPR), aumento do vale-alimentação para R$ 400 e auxílio materno-infantil de R$ 500. 

Uma nova assembleia será realizada na terça-feira (26) para confirmar a paralisação.

Diário de SP
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).