1 de novembro de 2014

CPTM mantém lavagem de trens

Em tempos de represas quase secas e de uma longa estiagem, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) não alterou um hábito antigo: lavar as composições de sua frota. Funcionários trabalham diariamente ao lado da Estação Jundiapeba limpando os vagões. Usuários observam surpresos a medida.

Em entrevistas dadas há pouco tempo, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) ressalta que o Estado vive a pior crise hídrica dos últimos 100 anos, o que fez com que o Sistema Cantareira operasse com apenas 12,4% de sua capacidade e o Sistema Produtor Alto Tietê (Spat) chegasse à alarmente marca de 6,6%, segundo dados oficiais da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). A autarquia estadual, aliás, anunciou bônus para aqueles consumidores que usarem menos o precioso bem.

Apesar de ser em Mogi, onde o fornecimento de água é feito pelo Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) – que garante que até o momento não há risco de desabastecimento na Cidade –, a estatal de transportes vem mantendo a rotina de limpeza dos trens com a água. Desde quarta-feira, a reportagem de O Diário constata a medida. Existem campanhas iniciadas pelas redes sociais que chegaram às ruas incentivando os proprietários de carros a não lavarem os veículos enquanto não chover. Quem usa a rede de transporte sobre trilhos viu com espanto a água usada. “Acho que é muito desperdício. Não tem necessidade de lavar agora, quando está tão seco”, disse uma idosa à reportagem, na Estação Jundiapeba, na manhã de anteontem.

Procurada, a CPTM informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que respeita o meio ambiente e que não usa água corrente. “A limpeza de trens e estações é realizada regularmente em conformidade às leis ambientais e o uso racional da água. Para esses serviços, é utilizada água de poço artesiano, com abastecimento fornecido por caminhão pipa. A lavagem completa de cada trem (externa e interna) é feita, em média, a cada  40 dias. Já a limpeza interna, necessária para manutenção da higiene do local que recebe muitos usuários, é feita diariamente com vassouras e produtos de limpeza. A CPTM adota várias iniciativas para redução do consumo de água nas estações e instalações internas. Nas estações em operação, existe controle do consumo nos medidores, fiscalização dos sanitários públicos para evitar o desperdício, acompanhamento da limpeza das plataformas e áreas operacionais, otimizando o tempo na lavagem e constantes inspeções das tubulações para evitar vazamentos”, trouxe a nota. (Lucas Meloni)

Fonte: O Diário de Mogi
Comentários
0 Comentários
As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).