11 de junho de 2014

Alckmin vai demitir mais 300 se houver greve

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), assegurou que o metrô vai funcionar na abertura da Copa do Mundo, nesta quinta-feira (12). Além de demitir 42 funcionários que participaram da greve, considerada ilegal pela Justiça, Alckmin teria apresentado aos líderes sindicais uma lista com mais 300 servidores que podem ser demitidos caso haja impedimento do funcionamento do metrô.

Para integrantes do Sindicato dos Metroviários, a ameaça do governador é parte do plano de contenção de uma nova greve. O quadro do Metrô conta com cerca de 9,5 mil funcionários, sendo 7,5 mil operados, supervisores, pessoal ligado à manutenção e condutores. Assim, o governo não teme falta de pessoas capazes de conduzir os trens, mesmo se tiver de demitir 300 funcionários.

Alckmin lembrou ainda que a greve foi considerada “ilegal” e “abusiva” pela Justiça no domingo e “decisão judicial se cumpre”. “Espero que (o Metrô) não pare (amanhã). Não tem nenhum sentido. Seria um enorme oportunismo, exatamente no dia da abertura da Copa, fazer greve”, disse.

 As informações foram publicadas pelo jornal O Estado de São Paulo.
Comentários
0 Comentários
As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).