9 de março de 2014

Metrô de São Paulo tem cada vez menos assentos

"Redução dos bancos tem o objetivo de permitir a acomodação de um número maior de pessoas em pé"

Está cada vez mais difícil de se sentar nos trens do Metrô de São Paulo. E isso não é só por causa da crescente superlotação do sistema. Dados obtidos pelo Estado, por meio da Lei de Acesso à Informação, mostram que os veículos das frotas modernizadas e as composições novas têm sido entregues com cerca de cem assentos a menos do que os equipamentos antigos.

Trata-se de uma tendência acelerada recentemente. Nos anos 1980 - segunda década de funcionamento das linhas da companhia -, as composições da frota C da Linha 3-Vermelha eram fabricadas com 368 bancos. Algumas dessas ainda rodam naquele ramal. 

No fim do decênio seguinte, os trens recém-adquiridos para a Linha 2-Verde passaram a apresentar 274 assentos, em um lote que recebeu o batismo de frota E.

Agora, a quantidade de vagas para os passageiros se acomodarem caiu ainda mais. Por exemplo, quem andar em um veículo da frota K, modernizada nos últimos três anos, terá de disputar um dos 264 lugares disponíveis. Chama a atenção o fato de que esses trens, antes de serem reformados e rebatizados, pertenciam à antiga frota C. Ou seja, possuíam 104 assentos a mais, quando apresentavam praticamente os mesmos comprimento e largura dos vagões redesenhados.

Embora o Metrô, que é controlado pelo governo do Estado, não admita oficialmente, a redução dos bancos em seus trens tem o objetivo de permitir a acomodação de um número maior de pessoas em pé, desafogando mais rápido as plataformas superlotadas das estações durante os horários de pico.

Análise técnica. É o que sustentam os especialistas. O urbanista e consultor de Transportes Flamínio Fichmann diz que as prioridades não têm levado em consideração o conforto dos usuários. "Como tudo é dimensionado só para atender à demanda na hora de pico, ninguém depois muda o layout e põe mais assentos nos trens."

Ele defende um sistema de ônibus de apoio à Linha 3-Vermelha do Metrô, para tentar deixá-la menos lotada nos picos. "Esses coletivos seriam paralelos à linha e todos os passageiros viajariam sentados."

Já o engenheiro de Transportes Sergio Ejzenberg afirma que apoia esse tipo de solução adotada pelo Metrô. "É uma decisão correta, porque falar em conforto para uns e outros irem esmagados não tem muito sentido. É racional, correta, porque está se evitando um risco maior." Apesar disso, ele diz que há, na rede metroviária, um "processo de sardinha em lata".

Idosos. A Linha 5-Lilás, na zona sul, foi inaugurada em 2002 com trens de 272 lugares. A futura frota que será comprada para circular no ramal, que está sendo expandido para receber mais passageiros, registrará, em cada composição, 236 bancos, a menor quantidade entre todos os veículos do Metrô, com exceção do monotrilho.

O relojoeiro Darci Antunes, de 65 anos, diz que a quantidade de bancos reservados a idosos, gestantes e deficientes está bem menor. Isso, apesar de a expectativa do próprio Metrô ser a de um aumento no número de pessoas da terceira idade usando o sistema nos próximos anos. "E o que piora é que muita gente jovem não cede o espaço", comenta Antunes. 

Na avaliação de Maria Aparecida da Silva, de 70 anos, mesmo quem consegue se sentar é atrapalhado pela maior lotação. "Fica difícil na hora de você sair dali."

Além do natural envelhecimento da população - segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), pessoas com mais de 65 anos de idade no País saltarão de 14,9 milhões em 2013 para 58,4 milhões em 2060 -, o governo Geraldo Alckmin aprovou uma lei, no fim de 2013, que diminui de 65 para 60 anos a idade mínima para homens andarem de graça no metrô e na Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), o que deve atrair mais passageiros desse perfil.

Sem fornecer números, a assessoria de imprensa do Metrô informou que a quantidade de assentos preferenciais nos trens novos e modernizados "é superior ao mínimo estabelecido pela lei". Os dados oficiais indicam que os trens do Metrô carregam, no máximo, até 2 mil passageiros.

No caso dos futuros trens da Linha 5, na lotação de 6 pessoas por metro quadrado, a capacidade será de 1,5 mil usuários. Já na superlotação de 8 pessoas por m², são 1,9 mil.

Acima do mínimo. Procurada, a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) informou que todos os seus trens, sejam novos ou modernizados, "têm quantidade de assentos acima dos 12% adotados como mínimo por todos os sistemas metroviários de alto carregamento do mundo". Sobre a opção por um monotrilho na Linha 17-Ouro, divulgou que "a opção por esse modo de transporte levou em consideração a demanda, mas principalmente o fato de que não é possível com um corredor de ônibus cruzar de modo transversal importantes vias da cidade como as Avenidas Washington Luís, Luís Carlos Berrini e Marginal do Pinheiros".

A empresa respondeu ainda que o monotrilho traz "benefícios sociais" por ser movido a energia elétrica e não a diesel, como os ônibus, "além de ter velocidade projetada superior à dos ônibus".

Apesar de a própria assessoria de imprensa do Metrô ter feito essas comparações entre os modais, na nota informou que "não é correto compará-los" e "mais errônea ainda é a comparação entre ônibus e metrô e monotrilho". Foi questionado quanto cada trem modernizado custou para o Metrô, mas a assessoria não forneceu essa informação. /COLABOROU BRUNO RIBEIRO


Tiago Queiroz/Estadão

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).

Apartamento em Francisco Morato finaciado pela Caixa

Apartamento em Francisco Morato finaciado pela Caixa
ÚNICO DA REGIÃO ENTREGUE TOTALMENTE ACABADO, COM PISO EM TODAS AS ÁREAS ✅ ESCRITURA GRÁTIS! 💥 APARTAMENTOS LOCALIZADOS A 1,8 KM DA ESTAÇÃO BALTAZAR FIDÉLIS 💥 Se você: ✅ Trabalha registrado ✅ Possui renda familiar de R$ 2200 ou mais ✅ Possuis FGTS Não perca mais tempo, saiba que você possui um excelente potencial de financiamento e não pode deixar essa oportunidade escapar! SUA OPORTUNIDADE CHEGOU ✅ 1 Vaga ✅ Condomínio com portaria 24hs. ✅ Piscina ✅ Salão de Festas ✅ Churrasqueira ✅ Quadra ✅ Playground ✅ Plantas de 46 e 46 M². O único da região que entrega totalmente acabado e pronto para morar ***Use seu FGTS *** Financiamento Caixa Econômica Federal *** Entrega garantida pela Caixa prevista para maio de 2019. Localização Município: Francisco Morato CEP do imóvel: 07996-005 Bairro: Res São Luis VISITAS SOMENTE COM AGENDAMENTO PRÉVIO Fale com agora mesmo no telefone ou WhatsApp com: RICARDO - 11-987405205