24 de março de 2014

CPTM também registra aumento de panes

No ano passado, o número de ocorrências notáveis foi de 36, ante 28 de dois anos atrás

 

Na CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), a situação não foi muito diferente do que no metrô. Por meio da Lei de Acesso à Informação, a reportagem obteve dados internos que mostram que, no ano passado, o número de ocorrências notáveis foi de 36, ante 28 de dois anos atrás. Com isso, os usuários tiveram que enfrentar, em média, uma pane séria a cada dez dias.

 

O número de falhas graves no Metrô de São Paulo aumentou, segundo dados dos últimos cinco anos da operação do sistema. Se em 2009 a média era de uma pane com grande transtorno aos passageiros a cada seis dias, em 2013 esse intervalo baixou para três dias — duas por semana.

 

As estatísticas internas da empresa, coletadas e divulgadas pelo Sindicato dos Metroviários, indicam que, em 2013, o metrô registrou 113 incidentes notáveis — termo técnico para designar panes que duram, no mínimo, seis minutos até serem resolvidas. Ao longo de 2009, houve menos que a metade desse total: 55. Ou seja, o aumento foi de 105%.

 

Desde então, ano a ano, o que se notou foi um crescente contínuo de falhas, ao contrário do que ocorreu no período anterior, que teve índices estáveis e até em queda. Os números não levam em conta a linha 4-Amarela, administrada pela concessionária ViaQuatro, que foi procurada, mas não divulgou quantos problemas o ramal registrou.

 

Fonte: R7

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).