29 de março de 2014

Construa o seu próprio sistema de metrô em ‘Mini Metro’

Um emaranhado de linhas, cores e formas geométricas pode parecer confuso, mas é incrivelmente viciante em Mini Metro. FOTO: Reprodução

Quem vive numa grande cidade como São Paulo já deve alguma vez ter parado para pensar como seria bom ter um sistema de transporte público eficiente, bem distribuído pela cidade e que não fosse lotado. Falar (e sonhar)  pode parecer fácil, mas criar um bom sistema de metrô se torna uma tarefa dificílima no viciante jogo Mini Metro, lançado para testes recentemente por um grupo de desenvolvedores da Nova Zelândia, o Dinosaur Polo Club  - mas que você pode jogar diretamente no site dos caras ou baixar para seu PC ou Mac, tomando cuidado com o vão entre o trem e a plataforma.
Mini Metro tem uma estrutura simples e bastante fácil – perfeito para se tornar viciante: você é o responsável por construir e manejar as linhas de metrô de uma cidade gerada aleatoriamente. Toda cidade tem um rio, e você começa com três estações, de formas geométricas diferentes (círculo, triângulo e quadrado).
O começo do jogo é bem simples, mas vá com calma para não criar uma zona. FOTO: Reprodução

Cada estação vai receber passageiros, também identificados por formas geométricas – um passageiro quadrado quer ir para uma estação quadrado, por exemplo, mas a variedade de formas vai aumentando com o tempo. Conforme o jogo vai passando, as estações vão surgindo aleatoriamente no mapa, e cabe ao “engenheiro” conectá-las de modo que as linhas funcionem harmonicamente. Cada passageiro transportado até seu destino final vale um ponto, e o jogo acaba quando você tem sobrecarga de passageiros em uma estação só. (Ou seja, nada de querer fazer seus passageiros sofrerem e recriar a estação da Sé às seis da tarde, viu?).
No início, o jogador tem uma quantidade limitada de túneis, carros e linhas (identificadas com cores, como em quase qualquer metrô do mundo) a serem utilizadas, e conforme ele vai conseguindo transportar passageiros de maneira hábil, ganha mais túneis, linhas ou expansão de estações em troca. Parece fácil, mas até agora, o autor deste texto não conseguiu passar da marca de 450 passageiros transportados. Segundo Peter Curry, um dos criadores, o recorde até agora na versão atual de Mini Metro é de 1100. Ele ainda dá a dica para aumentar sua pontuação: “Para se dar bem no jogo, lembre que você pode pausar e reconstruir todas as suas linhas”.
Conforme o jogo vai passando, mais linhas e tipos de estação vão sendo adicionados. FOTO: Reprodução

Além dessa parte irreal, ele também destaca que, apesar de muita gente pensar Mini Metro com propósitos educativos, “o jogo tem uma parte bizarra que é as estações aparecendo do nada. Na vida real, os engenheiros escolhem onde vão por as estações, né?”. Curry conta ainda que todos os mapas do jogo são baseados em cidades reais, mas não chegam a ser cenários, por que a geração de estações vai ser completamente randômica. (Aqui entre nós: dá para achar facilmente Londres e Paris no mapa, mas se alguém achar uma ‘São Paulo”, avise!).
O desenvolvedor diz que, apesar de não ter desenvolvido o jogo com intenções educativas, acredita que Mini Metro pode mostrar quão difícil é fazer um bom sistema de transporte público. Para os próximos meses, o foco do Dinosaur Polo Club (nome do estúdio) é lançar as versões definitivas de Mini Metro, tanto para desktops quanto para tablets de Android e iOS, até o meio de 2014.

Fonte: Estadão
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).