13 de junho de 2013

Volta para casa preocupa passageiros em meio a greve da CPTM

Em meio ao caos provocado pela paralisação de três linhas da CPTM, a técnica em enfermagem Rita Oliveira se mostrava confiante para chegar ao trabalho na manhã desta quinta-feira (13).

— Acredito que em até uma hora devo estar lá.

Já sobre a volta, seu otimismo não foi o mesmo.

— A volta? Só Deus sabe!

Mesmo sabendo da greve, ela saiu de casa 15 minutos mais cedo hoje. Seu ônibus iria até o terminal Santo Amaro, onde terá que pegar outro até a estação Hebraica-Rebouças. Questionada sobre a possível demora no trajeto, Rita se mostrou confiante.

Rita relatou que, pela manhã, seu marido demorou quatro horas para chegar ao trabalho.

— Ele saiu às cinco horas para pegar o trem no Grajaú e só chegou no serviço, na estação Santo Amaro, às 9h.

Por volta das 12h, a situação já era tranquila no terminal Grajaú, linha 9—Esmeralda da CPTM. Os ônibus do Paese (Plano de Atendimento entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência) saíam em intervalos de três a cinco minutos. A estação já não enfrentava a mesma lotação registrada mais cedo.

"Tá de graça, não precisa pagar."

Ainda assim, os fiscais da SPTrans ainda encontravam bom humor para orientar passageiros que utilizavam o serviço do Paese (Plano de Atendimento entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência) na estação Grajaú. Apesar de toda correria e do clima tenso, um dos funcionários, que não quis se identificar, afirmava:

— Tá de graça, gente, não precisa pagar. Não precisa pagar o bilhete, já tá pago.

Na estação Grajaú, as pessoas pegavam o ônibus até o terminal Santo Amaro e, de lá, os veículos partiam para outras estações, como Pinheiros e Jurubatuba. Sobre a volta, um dos passageiros, que não quis se identificar, ponderou:

— O ruim é de manhã. À tarde, as pessoas já estão preparadas para o que vier.

"Vai que a greve já acabou até lá", ponderou um dos fiscais.

Greve

As linhas 11 - Coral (Luz-Estudantes) e 12 - Safira (Brás-Calmon Viana) pararam totalmente às 10h desta quinta-feira (13), segundo informações da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). A linha 9 - Esmeralda (Osasco-Grajaú) já estava completamente paralisada.

A estação Júlio Prestes, da linha 8 - Diamante (Itapevi-Júlio Prestes), também não estava funcionando. A greve iniciada à 0h desta quinta-feira, atingia mais de um milhão de passageiros no início da manhã, de acordo com a assessoria de imprensa da empresa.

A greve parcial da CPTM também prejudicava os motoristas que trafegavam pela capital paulista. Por volta das 10h, São Paulo registrou o quarto recorde de lentidão do ano com 123 km de congestionamento.

R7

Acompanhe todas as informações em nossa página no facebook
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).