13 de junho de 2013

Linhas da CPTM estão paralisadas na manhã desta quinta-feira

Linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) estão paralisadas na manhã desta quinta-feira (13) por causa da greve dos ferroviários, decretada na noite desta quarta-feira (12). De acordo com a assessoria da CPTM, a Linha 9-Esmeralda tinha todas as estações fechadas. Trechos das linhas 11-Coral (entre Guaianazes e Estudantes) e 12-Safira (entre Engenheiro Manoel Feio e Calmon Viana) também não funcionavam. Apesar da promessa de paralisação na Linha 8-Diamante, os trens circulavam normalmente entre as estações Júlio Prestes e Itapevi.

Nestes trechos, foi acionado o Plano de Apoio entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência (Paese), com ônibus operando entre as estações Pinheiros e Grajaú (Linha 9) e Guaianazes e Estudantes (Linha 11). Na linha 12, a interrupção ocorre entre as estações Engenheiro Manoel Feio e Calmon Viana. Para auxiliar os passageiros que usam esse trecho, a operação Paese foi acionada entre as estações Itaquaquecetuba e Poá (Expresso Leste da Linha 11) e Itaquaquecetuba e Itaim Paulista (Linha 12). O Paese foi acionado às 2h30.

Funcionários das linhas 8-Diamante (Julio Prestes-Itapevi), 9-Esmeralda (Osasco-Grajau),  11-Coral (Luz-Guaianazes) e 12-Safira (Brás-Calmon Viana) da CPTM decidiram em assembleia entrar em greve a partir de 0h desta quinta. Apesar da paralisação anunciada, a linha 8 funcionava normalmente por volta das 6h, segundo a CPTM.

A companhia divulgou nota dizendo que considera irresponsável a decisão do Sindicato dos Trabalhadores da Zona Sorocabana, representante dos empregados das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda e do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Zona Central, que representa os empregados das linhas 11-Coral e 12-Safira de paralisar a prestação dos serviços.

Diretor do Sindicato Central do Brasil, Lourival Júnior, afirma que os sindicalistas já percorrem as áreas para convencer funcionários operacionais e de manutenção a entrar em greve. Rogério Centofanti, do Sindicato dos Ferroviários Sorocabana, afirma que a próxima reunião de avaliação está marcada para as 15h desta quinta. Segundo ele, a tendência é a greve ganhar adesão ao longo do tempo.

Segundo Lourival, a categoria está em campanha salarial desde março e esgotaram-se as tentativas de conciliação na Justiça do Trabalho. "A gente ainda aguarda uma proposta digna", afirmou.

Segundo a CPTM, na reunião de conciliação realizada nesta terça-feira (12), no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) a CPTM apresentou nova proposta garantindo 8,56% de  reajuste salarial, que repõe a inflação do período, considerando o IPC-FIPE de 5,91 %, e garante  aumento real de 2,5%. 

Além disso, também foi oferecido aumento de 20% no vale-refeição, que passaria de 22 para 24 cotas de R$ 23 por dia, totalizando R$ 552 ao mês.

A empresa diz também que ofereceu a substituição da cesta básica por vale-alimentação, valor de referência ampliado de R$ 76,86 para R$ 100 e benefício optativo de adiantar 50% do 13º salário em janeiro.

O Sindicato dos Engenheiros Ferroviários em São Paulo e o Sindicato dos Ferroviárias de São Paulo chegaram a um acordo com a CPTM em relação à campanha salarial e aceitaram o reajuste salarial de 6,97% e a implantação de plano de cargos, carreiras e salários com adequações salariais.

G1

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).