14 de maio de 2013

Metrô e CPTM atrasam investimentos


O Metrô de São Paulo já deveria ter reformado 36 trens a mais do que os atuais 16. E as intervenções para diminuir os intervalos das composições na Linha 2-Verde precisariam estar em um estágio mais avançado. Mas as obras de expansão e modernização do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) atrasaram no ano passado.

Quem admite o atraso é o próprio governo do Estado. A gestão Geraldo Alckmin (PSDB), que tem no setor uma de suas principais vitrines, admitiu a perda de prazos em um documento enviado à Assembleia Legislativa neste mês. Entre as ações que tiveram problema está a construção da segunda fase da Linha 4-Amarela, na zona oeste, e a extensão da 5-Lilás, na zona sul. A evolução abaixo do esperado também impactou o cronograma de entrega de novas estações, como o Estado mostrou no sábado.

Um dos projetos com maior defasagem em relação à meta estabelecida é o de modernizar a frota da Linha 3-Vermelha, a mais sobrecarregada do metrô. Em dezembro de 2011, o governo divulgou que pretendia reformar 29 trens do ramal em 2012. Mas só 7 composições - ou 24% - ficaram prontas. No caso da Linha 1-Azul, só foram requalificados 9 dos 23 trens antigos. Em justificativa aos deputados, a Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos informou que "houve reprogramação de meta e atraso na entrega de trens" reformados ao longo do ano passado. O projeto teve de ser adiado porque o novo sistema de sinalização dos trens atrasou (leia mais ao lado).

Para o presidente do Sindicato dos Metroviários, Altino de Melo Prazeres Júnior, as reformas dos trens não foram bem planejadas. "Além disso, eles voltam sem janelas basculantes, o que é ruim, porque, se acaba a energia, não tem circulação de ar. Cria-se um certo pânico."

Situação semelhante aconteceu na ampliação da Linha 4. O objetivo do governo, publicado há quase um ano e meio no Plano Plurianual 2012-2015, indicava que 23% da segunda fase desse ramal - que envolve as futuras Estações Higienópolis-Mackenzie, Oscar Freire, Fradique Coutinho, São Paulo-Morumbi e Vila Sônia - precisariam estar concluídos em 2012. Na prática, 15% foram executados.

O governo informou que "houve atraso na elaboração dos projetos civis". Como o Estado mostrou em abril, a construção da Estação Higienópolis-Mackenzie teve de ser interrompida por 25 dias por uma falha na escavação de um poço.

No sábado, outra reportagem revelou que o presidente do Metrô, Peter Walker, já está apresentando um cronograma diferente do anunciado antes para a entrega das obras. A abertura da Estação Vila Sônia, da Linha 4, por exemplo, pulou de 2014 para julho de 2015. Já a extensão de 11,5 km e 11 estações da Linha 5 foi de 2015 para o fim de 2016.

CBTC. Outro projeto fora da meta é o da requalificação da Linha 2-Verde. Segundo o governo, em 2012 deveriam ter sido executados 11% do cronograma. Mas só 6,7% se concretizaram. Desde 2010, esse ramal recebe um novo sistema de sinalização, chamado de CBTC, que permitirá intervalos menores entre os trens. Na sexta, Walker disse que o equipamento é "um problema". A adaptação das linhas à acessibilidade também ficou abaixo da meta.

No caso da CPTM, metas de modernização não foram atingidas nas Linhas 10-Turquesa, 11-Coral e 12-Safira. Nas demais, objetivos foram superados em 2012.

Estadão
Caio do Valle - O Estado de S.Paulo
Foto: Trem na região da futura Estação Franco da Rocha
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

Juarez Leite disse...

Aí está a justificativa para o que vem ocorrendo dioturnamente no metrô.
Não existe hora nem dia para ficarmos parados por "uma Falha na estação tal", o que nos leva a concluir que os trens das linhas azul e vermelha estão sucateados, e que a manutenção deve ser ridícula.
O metrô hoje colabora para que nós cheguemos atrasados em nossos compromissos.

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).

Apartamento em Francisco Morato finaciado pela Caixa

Apartamento em Francisco Morato finaciado pela Caixa
ÚNICO DA REGIÃO ENTREGUE TOTALMENTE ACABADO, COM PISO EM TODAS AS ÁREAS ✅ ESCRITURA GRÁTIS! 💥 APARTAMENTOS LOCALIZADOS A 1,8 KM DA ESTAÇÃO BALTAZAR FIDÉLIS 💥 Se você: ✅ Trabalha registrado ✅ Possui renda familiar de R$ 2200 ou mais ✅ Possuis FGTS Não perca mais tempo, saiba que você possui um excelente potencial de financiamento e não pode deixar essa oportunidade escapar! SUA OPORTUNIDADE CHEGOU ✅ 1 Vaga ✅ Condomínio com portaria 24hs. ✅ Piscina ✅ Salão de Festas ✅ Churrasqueira ✅ Quadra ✅ Playground ✅ Plantas de 46 e 46 M². O único da região que entrega totalmente acabado e pronto para morar ***Use seu FGTS *** Financiamento Caixa Econômica Federal *** Entrega garantida pela Caixa prevista para maio de 2019. Localização Município: Francisco Morato CEP do imóvel: 07996-005 Bairro: Res São Luis VISITAS SOMENTE COM AGENDAMENTO PRÉVIO Fale com agora mesmo no telefone ou WhatsApp com: RICARDO - 11-987405205