17 de maio de 2013

Artigo: Na CPTM e no Metrô podemos ter algumas curas


Sempre fui uma pessoa otimista por natureza. Mesmo quando tudo à minha volta parece desmoronar, tento enxergar a Luz no fim do túnel. E isso não poderia ser diferente no meu dia a dia de viajante de trem, cheios de túneis também.

Dependendo do que você sofre, seja um mal físico, psicológico ou emocional, o trem pode te auxiliar. Quer exemplos?
Uma das doenças mais comuns nos tempos de hoje é a depressão. As pessoas reclamam de solidão, que não acham ninguém que as entenda e que só queriam ter alguém para conversar.

A solução para esse mal está entre os horários das 6 e 8 horas, todos os dias, de segunda à sexta-feira, tanto na CPTM quanto no Metrô de São Paulo.
Basta chegar e falar "oi" e pronto, seu mal está curado. Impossível se sentir sozinho e abandonado com tantas pessoas ao seu redor. Dá até para abraçar, sentir o cheirinho do outro, enfim, tudo para se achar a pessoa mais amada do mundo!
Outro problema que pode ser facilmente corrigido é a lordose. É só a pessoa que sofre disso entrar num trem lotado no horário de pico que garanto que rapidinho a coluna fica ereta. É tanta gente te apertando que a coluna vai se moldar para onde você quiser.

Para quem sofre de labirintite não existe solução melhor do que a lotação do trem. A pessoa está ali, sem senso de direção e perde completamente o eixo, vendo tudo rodar e quando percebe, já no trem, nota que tem gente por todos os lados. Duvido que em todo o trajeto ela perca o equilíbrio e caia. Se balançar, já vai ter alguém que a empurre para o outro lado. Com isso, o labirinto volta ao lugar e quando sair já será outra pessoa.

Já vi o trem curar até cegueira! Não acredita? Me contaram que uma pessoa entrou no trem guiando a amiga que estava com óculos de sol, em pleno horário de pico. Rapidinho, deram o lugar para ela se sentar nos bancos preferenciais. Quando chegaram à estação final, ela simplesmente levantou e saiu andando, sozinha, toda feliz. Detalhe: ela não tinha nenhum problema. Bom, aí já é problema de caráter, né? Isso nem o trem cura!

Andréia Garcia é coordenadora de projetos em ERP e autora do blog www.aviajantedotrem.com.br.

Andréia Garcia, A Viajante Do Trem
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.
Observações:

  • Último trem do terminal de Jundiaí para Francisco Morato tem partida programada às 23h30.
  • A transferência entre linhas é garantida desde que o usuário esteja em sua última estação de transferência até as 00h. Para mais informações, confira o Regulamento de Viagem. ​​​​
De domingo a 6ª feira, das 4h à meia-noite, e aos sábados das 4h à 1h (sentido único, do centro de São Paulo para os bairros e municípios da Região Metropolitana).