9 de abril de 2013

Avançam as obras da Linha 15-Prata do Metrô rumo à Cidade Tiradentes

Atualmente, as obras de implantação da Linha 15-Prata do Metrô estão a pleno vapor. Das 14 vigas que pertencem ao corpo da estação, 10 já foram lançadas. A construção da estação Vila Prudente conta com 167 operários que executam as obras de fundação das salas técnicas, mezanino e acessos. As salas técnicas vão abrigar subestação elétrica, transformadores, baterias, equipamentos de sinalização e controle, ar-condicionado, entre outros equipamentos.

Quando concluída, a estação Vila Prudente terá 16 mil m², incluindo o terminal de ônibus integrado. Contará com três acessos, sendo um deles localizado na área do mezanino, fazendo a ligação da estação Vila Prudente, da Linha 2-Verde, com a nova estação do monotrilho. A estação Vila Prudente contará com dois pavimentos: mezanino e plataforma. Para facilitar a locomoção dos usuários, haverá sete elevadores e 19 escadas rolantes.

No trecho de via elevada entre as estações Vila Prudente e Oratório, cerca de 40 operários estão construindo as lajes onde serão instalados os track switches (aparelhos de mudança de via). Juntamente a essa atividade acontece o lançamento das vigas-guia. Das 130 vigas necessárias, 124 já estão lançadas, restando apenas seis para concluir a instalação.

A estação Oratório é o ponto mais avançado em construção na Linha 15-Prata. A obra bruta foi concluída em dezembro e, neste momento, é realizado o acabamento geral da estação. Quando finalizada, serão 5.400 m² de área construída e dois acessos, cada um com bicicletário para 50 bicicletas.  A estação será totalmente acessível, contará com cinco elevadores e sete escadas rolantes que permitirão o acesso ao mezanino e às plataformas.

Obras avançam rumo à Cidade Tiradentes

Áreas que totalizam 19.860 m² nos bairros de Iguatemi e Cidade Tiradentes, necessárias para a implantação da Linha 15-Prata, estão sendo desapropriadas. O decreto estadual nº 59.052 que declara os terrenos de utilidade pública, assinado pelo governador Geraldo Alckmin, foi publicado pelo Diário Oficial do Estado nesta terça-feira (9/4).

Ao todo, foram decretados de utilidade pública para fins de desapropriação 49 imóveis, cujos proprietários e inquilinos começarão a ser notificados nas próximas semanas pelo Metrô. Durante o processo, equipes da Coordenadoria de Relacionamento com a Comunidade da Companhia realizarão visitas às casas dos moradores para orientação e esclarecimentos em caso de dúvidas. A comunidade também pode entrar em contato com a Coordenadoria pelos telefones (3371-7519, 3371-7523, 3371-7525), em horário comercial,  e no site www.metro.sp.gov.br/fale conosco.

Esse é o quarto decreto de utilidade pública para a implantação da Linha 15. Nos três anteriores (57.837, de 06/03/2012, 57.838, de 06/03/2012 e 58.456, de 15/10/2012), já haviam sido apontados 110 imóveis.
O conceito adotado no sistema monotrilho minimiza a necessidade de desapropriações, pois o corpo central das estações fica localizado no canteiro central das avenidas pelas quais o monotrilho vai passar. Apenas para a construção dos acessos e edificação de salas técnicas e operacionais, que são implantados nas laterais das avenidas, é que são necessárias desapropriações.

Trechos

O primeiro trecho da Linha 15-Prata, de Vila Prudente a Oratório, com extensão de 2,9 km, é composto por duas estações: Vila Prudente e Oratório, além do Pátio Oratório. A previsão é que as duas estações entrem em operação (visita controlada) a partir de dezembro de 2013 e a estimativa é que 13.300 passageiros utilizem o novo trecho por dia.

Posteriormente, a Linha 15-Prata seguirá de Oratório a São Mateus, com extensão de 10,1 km e oito estações: São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstoi, Vila União, Jardim Planalto, Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus. Neste trecho, 1.380 operários trabalham nas obras de fundações, pilares e capitéis da estrutura do monotrilho. Além disso, já foram lançadas 236 vigas, restando ainda 443 até São Mateus. Este trecho deverá entrar em funcionamento em 2014.

O último trecho ligará São Mateus à Cidade Tiradentes, terá 11,4 km e sete estações: Iguatemi, Jequiriçá, Jacu-Pêssego, Érico Semer, Marcio Beck, Cidade Tiradentes e Hospital Cidade Tiradentes. Quando concluída, em 2016, a Linha 15-Prata atenderá mais de meio milhão de usuários por dia.
Testes com o primeiro monotrilho

Para garantir a realização do projeto com maior rapidez, um trem piloto (com dois carros) foi produzido na matriz da Bombardier (empresa vencedora da licitação para fornecimento dos 54 trens de monotrilho) em Kingston, no Canadá. O primeiro trem já está pronto e começou os testes em um circuito de provas avançado, que vai permitir simular e representar todas as situações de operação a que os trens vão estar sujeitos em na Linha 15-Prata.

A fabricação dos outros trens está sendo feita na unidade da Bombardier em Hortolândia/SP.  Atualmente, 250 operários trabalham no quinto carro da linha de produção.

Os trens que circularão na Linha 15-Prata terão 86 metros de comprimento e capacidade para transportar 1.000 passageiros cada um. O sistema terá capacidade para atender a uma demanda de até 40.000 passageiros por hora e por sentido, com um intervalo entre trens de apenas 90 segundos.

Metrosp 
As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do blog Diário da CPTM.